02 abril, 2007

palavras, apenas, palavras

As lágrimas se confundem com meu sorriso sem graça, o gosto salgado do vento que teimam em deixá-las marcadas no meu rosto. As pernas já não sinto mais, correr é a única vontade que sinto, me deixem passar, desculpe, desculpe, desculpe, pra ontem estou indo, minhas pernas é que pensam por mim, o caminho será apenas o caminho.

Como criança me debruço no banco do carro e vejo apenas a cidade escura passar, imagens turvas, letreiros, néons, mas é tudo muito bonito, o caleidoscópio de imagens lentas, distorcidas em meio de rostos alegres, fanfarrões, fazem da chuva o ritmo da valsa orquestrada pela embriagues dos meus sentidos.

Sentado, pedindo abrigo, fico com os olhos cerrados, depressivos pela dor da perda de metáforas berradas baixas no ouvido. ?Será que o mundo realmente gira? minha inércia e autocrítica ácida misturam-se ao cheiro do ralo do vizinho ao lado, prefiro continuar aqui sentado me torturando com imagens e palavras que teimam e fazer eco, na cabeça vazia, que tem força apenas para emoldurar um sorriso sem graça no meio de lágrimas de quem corre sentado no banco do carro.

Ora não me fale de tristeza. Sou auto-suficiente em me derrotar. Pode ser meu signo cardinal, da terra, regido por saturno, e sua órbita que só me lembra do giro, que nem sempre é perfeito como o círculo. O que é isso? Apenas palavras desordenadas, pensadas e tentadas ser sentenciadas em linhas que poderão ser interpretadas por outras pessoas de outros signos de ar, fogo e água, mais ou menos racionais que eu, que grito mudo palavrões educados buscando a sinceridade da educação de dois estranhos.

Ah! Deixe-me quieto no meio do meu silêncio, quer me ajudar sente aqui ao meu lado por horas e não brigue com o silêncio constrangedor muito menos se incomode com ele, existem fonemas impronunciais pela língua. Mas seu calor me conforta e pode ser que uma hora minha cabeça procure seu colo e o mesmo silêncio das músicas tristes que embalam suas mãos no conforto da sua presença.

9 comentários:

Gi disse...

Adorei o texto guri...Muito bem escrito e empolgante...Parabéns...Adoro vc...Bjs..Giselle Oliveira

Márcio Brigo disse...

Ha tenta força na tristeza, existem tantas formas de ser feliz, mas em nenhuma delas a energia do sentimento é capaz de levantar caminhões ou mover montanhas (perceba que eu não estou falando de amor e sim de feliciadade). Os ocidentais acreditam que pode haver vida plenamente feliz, mentira. A tristeza faz parte da falicidade e vice-versa. Um viva ao rapaz que após ter voltado de sua viagem consegue escrever assim. Abraço

teste disse...

Teste!!!

eduardo disse...

Como vai caro Rogério. Haha! Quem derá! Eu que um dia, quando crescer, espero ser como o Rogério, competente e criativo, mas ao mesmo tempo, saber valorizar as coisas simples e boas da vida. Esta sim é uma grande lição. Obrigado pelas palavras jovem e vamos em frente. Parabéns e sucesso para todos nós!
P.S.: Ah! Só pra não esquecer. Já começou a nova rodada da CNN, versão 2007! Topa enfrentar um novo desafio? rs. Espero resposta! Valeu!

Patricia disse...

Rogerio..este texto eu ainda naum tinha lido...confesso que eu ia pedir pra vc escrever um texto pra mim sou sua fã d+, ahh já disse isto né rsrs mas quando li este aki...tudo parou...eu pude ler em palavras o que estou sentindo em emoções....incrivelmente lindo..amei...vc realmente um talento com as palavras...super criativo...vc com seu texto faz com que a gente se sinto estimulado a ler e ler sem parar....obrigado....
palavras,apenas,palavras.....

** Liih ** disse...

Oiiieeee... amei o texto meu lindo... soh pra variar um pouco neh... rsrsrs...

Add meu blogspot ai tb...

alineamaral.blogspot.com

Bjokassssssssss

Gi Guedes disse...

Perfeito seu texto.... COMO SEMPRE!!!!!!!!!!!
ME faz viajarrrrrr... e MTO!
bjussssssss

Elton disse...

É mais ou menos como o Márcio disse: Se não vivenciamos a tristeza, como podemos saber o que é a felicidade. Belas consideraç~]oes, como sempre.
Abraço

Du disse...

O meu signo de água com ascendente em água e lua terrena, também faz com que eu tenha sentimentos como criança no banco do carro, e que queira nada mais que a solidão e a observação nesses momentos. No banco do carro, ou no da praça.;)