26 janeiro, 2009

enquanto isso na sala da justiça

Para ler ouvindo: Menina-Moça - Móveis Coloniais.



Sim.
Eu sou chato, sou metódico, sistemático, minimalista e quase nunca vou conseguir prolongar uma conversa por mais de 5 minutos.

Sou ranzinza pra minha pouca idade, gosto das coisas certas e não fico agradando ninguém. Se gosto, gosto, se não gosto, não gosto mesmo. Reclamo de tudo e o faço com gosto!

Não gosto de ambientes lotados, detesto balada todo o fim de semana, não sei dirigir, não sei conversar sobre carros, sobre tênis, sobre celulares ultra-modernosos.

Funk pancadão não é música e vc nunca me convecerá do contrário. Black é preto em português, techo-brega, calipyso e forró de teclado entra na categoria de músicas que eu nao terei o prazer de escutar. Ah! Inventaram o fone de ouvido, por favor utilize, seu celular é moderno. Parabens.

Falo pouco mesmo, sou um ótimo ouvinte. Se estiver calmo no meu canto isso não significa que eu esteja triste e se eu estiver pelo um amor de Deus não tente me animar, me deixe triste no meu canto. Talvez eu esteja só ouvindo mesmo.

Sou mal humorado, tenho que dormir 7 horas, não me visto de acordo com a moda vigente, não ligo se meu cabelo esta bagunçado e minha barba esta comprida, que minha barriga seja grande.

Se me convidas para sair, vou querer atenção. Quer ficar com outra pessoa, ir conversar com outra pessoa. Vá. Mas se estiver do meu lado não vou gostar que fique flertando de baixo do meu nariz ou que fiquem te comendo com os olhos, vou fazer cara feia mesmo, vou empatar a foda mesmo!

Se me perguntares algo pode ter certeza que minha resposta vai ser sincera, se não quer a verdade não me pergunte. Mas parto sempre do principio, está feliz? te faz feliz? Então isso é o suficiente.
Shopping não é passeio, vou ao cinema pra ver filme, se digo que não sei é porque não sei, se digo que nao estou pensando em nada, é pq nao estou pensando em nada e se digo não é apenas não, não precisa ficar inventando trocentas teorias conspiratorias.

Não sou estepe, não fico por ficar, não beijo 7 numa noite. Não ligo pra roupa que você usa, pros trocentos mil amigos que você tenha, que você beba, fume, se entorpeça. Só exijo respeito. Não te repreendo, não me repreenda. Correto! Mas se quer sexo casual, também posso te oferecer isso.

Aposto que estou esquecendo de te listar um monte de coisas, minhas chatices vão alem do que está escrito ae, mas com certeza você poderá um dia descobrir tudo isso no dia-a-dia, no cotidiano, que é chato, cinza e maçante caso queira aguentar minha rabujisse.

Mas quero deixar uma coisa bem claro EU SOU CHATO, não acredite nas pessoas que dizem que eu sou legal, não acredite nas pessoas que me acham inteligente, não acredite no que as pessoas dizem ao meu respeito, essas convivem comigo há anos e aprenderam a gostar e respeitar os meu defeitos.

To escrevendo tudo isso por um único motivo, quero que saibas quem eu sou pra que não tenha surpresas.

Eu sou chato, muito chato, chato pra caralho.
_____
bom, deixo para as possíveis interpretações, a revolta já passou e relendo e acrescentando um paragrafo ou outro até ficou engraçado. Só um ponto, não escrevi por conta de um rolo mal sucecido, ou, buscando confeti. Escrevi um tempo atrás e hoje ouvindo Móveis achei que a música casou então quis publicar. Segue alguns trechos da música.


... "Eu não queria te dizer ...
... Que pra ser o tal
Não é preciso ser
Bacana e sacal
Não é preciso ser
Sacana e banal
Não é preciso ser
Mas o difícil é entender ...

... Talvez seja tal e qual
Quarenta e quatro vezes normal
Mas na vez seguinte, no ano seguinte
Você se tornará legal..."

17 janeiro, 2009

...

...

Vem cá 2009, vamos ter uma conversinha tétê a tétê! De homem pra homem!
Calma. Eu não to bravo. Não to te cobrando nada e muito menos apostando minhas fichas em você como fiz em anos anteriores. Resolvi viver a moda Zeca Pagodinho, deixando ela me levar, recorrendo de vez em quando para o Renato e sua Legião, porque realmente eu só sei do que não gosto.
To te falando tudo isso, porque acho que tu merece. Não pulei onda, não comi lentilha, não estorei fogos, não fiz re-avaliação, lista de melhores ou piores, não usei branco, amarelo, vermelho ou qualquer peça nova.

To mais crente esse ano em física quântica e vou agora pra luta diária da lei da atração. Não reclamareis, não vou criar divida nenhuma, não vou fazer curso algum, vou beber todo meu salário, tirar a porra da carta, fazer minha tatuagem, aprender a tocar algumas músicas no violão e só.
Esse será meu 2009. Estes serão meus objetivos.

Modestos? Foda-se
Nem faz cara de púdico não!
Só não viro hippie por gosto de banho quente, não sei fazer artesanato e odeio acampar.



Até mais 2009,
Passe bem!

...

...

Me perderia fácil em suas linhas
buscando a compreensão do que é o amor
Não me prenderia ao feio ou bonito
ao defeitos sempre escondidos
no contorno dos seus sorrisos.

____
depois volto com o resto.


Pois é, o Sasahara desafiou e eu afinei. Como é dificil esse lance de escrever música. Acho que vou continuar de quase poesias. Como eu odeio essas rimas!


Foto de Marcio Brigo


11 janeiro, 2009

o manhê.

Manhê.
Eu não sei o que eu quero ser quando eu crescer.
Droga.
E agora o que eu faço?


Manhê.
O que eu pensei que eu queria ser, descobri que eu não quero mais.
Porra (desculpa, saiu)
Me diz o que eu faço!


"Não que eu não ache legal ou que eu não goste, nada disso. Mas sabe quando perde o sentindo. Sentindo não é a palavra certa, mas a essa altura dos vintes e tantos não me oferece o que eu queria."


Manhê.
To perdido.

"Não consigo descobrir o que vou ser quando romper os 40 e poucos. Como projetar família, futuro, sucesso se nem agora sei o que eu quero ser. Verdade que
alguns fatos agora pesam mais que antes. Já não posso mais com o sustento
destinado a mim em outras fases.
Não sei se seria radical demais começar do zero novamente. Como mudar se faço a mesma coisa desde os 18, o dinheiro aplicado antes e a nova graduação, não deveria ir para outros projetos..."

Manhê!