02 novembro, 2009

sem titulo

Vejo,

embora não pudesse ver
a angústia
de um coração que não sabe amar.

Sinto,

o desejo racional da partilha,
a irascivel e constante carência

Finjo,
e continuarei,
quem sabe uma hora
aprendo

Nenhum comentário: