02 maio, 2007

1.1 Os primeiros beijos!

As aventuras amorosas de Mr R

1.1 OS PRIMEIROS BEIJOS


O primeiro beijo, ou poderíamos afirmar os primeiros beijos!
A grande pergunta dentro das pequenas perguntas é como falar de aventuras amorosas sem falar dos primeiros.

Como R sonhará com tal fato!
As imagens lindas cinematográficas sempre ditavam o ritmo lento da cena se repetindo, de um lado a prometida, que vinha em sua direção, devagar como se aquele segundo fosse o mais eterno do mundo, olhos extasiados, mãos suadas, boca semi aberta, e a boca sempre a boca, todo o corpo convergia pra boca, os olhos, as mãos, a boca, os ouvidos, a barriga que suava fria, a boca, as pernas trepidas, a respiração rapida e o despertador!


A idade vai ser difícil de lembrar, mas o pequeno R, lembra que férias era sinônimo de visita a sua casa da avó. Lá o mês passava voando entre as brincadeiras. Pega pega, esconde esconde, a patrulha salvadora que pulará da tela da TV direto para o clubinho, com direito a toque secreto e bugigangas a la professor Pardal. Entre um jogo de futebol e as descidas pelo barranco, entrava em ação a grupo das meninas. E tinha uma menina no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma menina. Baixinha, folgada, atrevida, mandona, nervosa e a mais linda. Éramos todos amigos e odiávamos meninas inclusive o R, que era quem mais odiava meninas, que gostavam dos meninos, e queriam descer de carrinho de rolemã, empinar pipa e fazer parte da patrulha salvadora.

O que isso?
Um pelo oras!
De onde ele veio?
Vo saber!
Quando ele veio?
Sei la! Quando acordei ele tava ai!
Caralho que da hora!
Acho que com os pelos veio também os interesses por meninas!
Mas o clubinho, as meninas e o fato de meninos odiarem meninas!
ah deixa pra lá, elas parecem ser legais.
O que é aquilo ali na A.
Parece um peito!
Quando apareceu?
Num sei, mas eles são legais!

Agora férias na casa da avó era sinônimo de futebol, clubinho, mãe da mula, pião, papagaio, bailinho e pêra uva maça salada mista!

Sábado a noite, R colocava sua melhor camisa por dentro da calça, penteava com vontade o cabelo e caminhava para o fatídico e mortal bailinho, com suas músicas lentas em que meninas dançam proximas de meninos. Proporcionalmente 5 meninos para cada menina. Eles de um lado, elas de outro, meia luz, que só pai do M.A conseguia fazer, fitas mixadas pela C, e a vassoura dançarina correndo de um lado para o outro pelo baile.

R tinha lugar cativo no canto da parede vendo todo mundo bailar, seu olhar era sempre pra ela, que as vezes olhava pra ele. Vai la R dizia pra si mesmo, pra que ela vai te esnobar respondia, mas se você num for nem te esnobar ela vai retrucava, eu vou dizia decidido, mas depois de tomar refrigerante, ir no banheiro, falar com M.A, puxar o saco do pai do M.C, brincar com o cachorro, e voltar para o canto cativo e tomar coragem pra ir lá.

Oi!
Oi!
A vassoura começa contigo na próxima dança!
O que?
Pega a vassoura logo!

R poderia ficar todas as músicas do mundo dançando com a vassoura. Mas tinha uma menina no meio do caminho.
continua...

3 comentários:

Gi disse...

No melhor da festa vc pára...Ninguem merece hein...kkkkkk...Bjs adoro vc...

B. disse...

O primeiro beijo...o meu foi o mais sem graça, foi por curiosidade, não por qq sentimento. A primeira vez tb...ansiedade, nervosismo, vergonha...como o beijo e o sexo melhoram com a idade! Como melhoram...

_Ton_ disse...

Quem nunca brincou de salada mista levanta a mão?
Com certeza a experiência do primeiro beijo é algo para se lembrar (e tbm esquecer pelo desastre que costuma ser).
Continue narrando as estórias de R para nós, o cara é uma figura....hahaha
Abraços, parceiro